O gênio do crime

O gênio do crime

Sinopse

Este é o livro que inaugurou a turma do gordo. Seu Tomé é um homem bom, proprietário de uma fábrica de figurinhas de futebol. Existem as fáceis e as difíceis, fabricadas em menor quantidade. Quem enche o álbum ganha prêmios realmente bons.Mas surge uma fábrica clandestina que fabrica as figurinhas difíceis e as vende livremente. O número de álbuns cheios aumenta e seu Tomé não tem mais capacidade de dar todos os prêmios. Há uma revolta, as crianças querem quebrar a fábrica. Edmundo, Pituca e Bolachão, e mais adiante, Berenice, entram em cena para descobrir a fábrica clandestina. Acontece que não se trata de simples bandidos. A quadrilha é chefiada por um gênio do crime. A cabeça do gordo é posta para pensar, travando-se um espetacular duelo de inteligências, que começa pelo incrível sistema de seguir pelo avesso. Um livro que, de saída, conquistou o Brasil.O Gênio do Crime foi lançado em 1969. Sem tarde de autógrafos, sem publicidade ou cobertura de mídia, apareceu de repente nas livrarias. Rapidamente as crianças se apaixonaram e as edições foram se sucedendo. Conforme as crianças cresciam, as que vinham atrás se apaixonavam e isso nunca terminou, continua até hoje. Já virou rotina para o autor encontrar crianças com antigas edições nas mãos porque o pai e a mãe quando pequenos leram também. São os filhos e netos dO Gênio do Crime. Os bisnetos estão chegando.

Autor

João Carlos Marinho nasceu no Rio de Janeiro em 25 de setembro de 1935, mudando-se logo para Santos, onde cursou o primário no Ateneu Progresso Brasileiro. Fez o ginasial em São Paulo no Colégio Mackenzie, mudando-se depois para Lausanne, na Suíça, onde cursou o colegial e obteve o diploma da Maturité Fédérale Suiça. Voltando ao Brasil, fixou residência em São Paulo e diplomou-se em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco (USP). Uma vez formado, passou a advogar em Guarulhos, onde foi titular do famoso escritório de advocacia trabalhista J. C. Marinho até 1987, quando voltou a morar em São Paulo e deixou a advocacia, passando a viver exclusivamente de direitos autorais. Em 1969, quando ainda advogava, publicou o livro O Gênio do Crime, que tornou-se um clássico da literatura infantil brasileira, já tendo folgadamente passado a marca das sessenta edições. Daí para frente foram surgindo os outros livros da turma do gordo, no total de treze até hoje.Pelo livro Sangue Fresco, o autor recebeu o Prêmio Jabuti e o Grande Prêmio da Crítica (APCA). O livro Berenice Detetive foi agraciado com Prêmio Mercedes-Benz, um dos mais importantes prêmios já destinados a obras infantojuvenis no Brasil. Escreveu ainda quatro livros para adultos. O Gênio do Crime foi levado para o cinema em 1973, em filme dirigido por Tito Teijido e que leva o nome de O Detetive Bolacha contra o Gênio do Crime. O Gênio do Crime também foi traduzido para o idioma espanhol com o título de El Genio del Crimen.